quarta-feira, 31 de maio de 2017

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Artigo: É coisa de maluco - Lauri Zen

É coisa de maluco!!

Querer resultados diferentes e continuar fazendo as mesmas coisas realmente é coisa de maluco.

Nós temos muitos sonhos, muitos objetivos para nossa vida pessoal e para o nosso negócio.

Mas como transformar nossos objetivos em resultado? Eu tenho planejamento? Minha empresa destina tempo para planejar? Tem um método para fazer isso?

Além de muita atitude, é preciso utilizar métodos que nos ajudem a organizar nossos objetivos, ou se aprende sozinho ou pedimos ajuda para transformá-los em resultado. Utilizar ferramentas modernas e responder com habilidade para que consigamos enfrentar os desafios deste mundo contemporâneo, um mundo que nos permite a arte de pensar antes de fazer as coisas, mas que pela pressão do tempo e pelo stress, não tem esta cultura de “ganhar” tempo planejando, realizar momentos para pensar antes de fazer as coisas para atingir os resultados que esperamos. Vale mais destinar tempo para planejar do que destinar tempo para lamentar e fazer as reconfigurações necessárias depois, o retrabalho, desgaste emocional ou o prejuízo.

Se na vida pessoal esquecemos a toalha para tomar banho, imagine no mundo corporativo... Quantos desconfortos causamos no dia a dia por esquecermos as coisas, por não pensarmos antes de fazer, por não destinarmos tempo para o planejar. Vivemos apagando incêndio e isso gera muito desconforto a todos os envolvidos no processo.
O grande desafio hoje é a gestão dos prazos, aprender a lidar com o tempo. Tempo para que os projetos aconteçam dentro do tempo esperado, que o pedido termine dentro do prazo, que a reunião seja produtiva e tenha andamento o que foi decidido, que a proposta seja enviada no tempo certo,  que consigamos administrar as oscilações dos fornecedores, que os resultados apareçam mesmo não destinando tempo para pensar de forma estratégica. 

Desafio é que todos os colaboradores comecem a perceber suas tarefas como projetos para serem administrados durante o seu dia, sua semana ou durante meses. O foco não é na função da pessoa e sim qual o projeto que ele é responsável.

Você sabe fazer projetos? Comece pensando na utilidade do seu projeto, para que ele serve, qual o seu significado. O que as pessoas esperam do projeto, qual a expectativa da equipe, dos clientes, dos fornecedores, dos acionistas. Importante é lembrar tudo que não poderá faltar no projeto. Qual a inovação ou modificações que vou fazer para trazer mais significado para o projeto. Quais as ações e movimentos serão necessários para meu projeto acontecer. Qual a importância e complexidade de cada item pensado, de envolver as pessoas no processo, pois contar com uma pessoa, significa depender dessa pessoa. Lembrar de um palito de fósforo para fazer um churrasco é imprescindível! E que outros materiais, máquinas, quanto de mão de obra, aonde vão acontecer, qual o método de trabalho e que medidas serão necessárias são tão importantes quanto o palito.  Qual a excelência que quero dar ao meu projeto?  Pensar o custo, o atendimento, a entrega, a qualidade, a segurança das pessoas, do patrimônio, do planeta faz pensar na sustentabilidade. Pensando tudo isso basta distribuir na linha do tempo com seus desdobramentos e quem é responsável por cada ação pensada. A cada ciclo faz uma pausa para verificar o foi assertivo e o que precisa ser melhorado.

Muitos gerentes/executivos/empreendedores destinam tempo para o planejamento, mas não consegue dar “acabativa” para o mesmo, não conseguem transformar em um plano de forma estruturada e com todos os pontos interligados. Definir a estratégia, ter a ideia é fácil, o difícil é fazer um plano de forma estruturado e colocar todas as ações e seus respectivos pilotos na linha do tempo que seja executável e que atingimos o resultado dentro do tempo esperado.

Começar fazendo pequenas PPP (Pausa Para Pensar) já ajuda muito no nosso dia a dia.
As pessoas estão sendo pilotadas pelos problemas. O desafio é inverter este processo, para isso precisa o resgate do pensar antes de fazer. Esta na mão dos gestores destinarem mais tempo para o planejamento com sua equipe, busque um método e mãos a obra. Quer resultados diferentes e continuar fazendo as mesmas coisas realmente é coisa de maluco.

Lauri Zen
Facilitador de Aprendizgem e Consultor Empresarial

terça-feira, 25 de abril de 2017

Lauri Zen tem média de 9,49 de avaliação em Cursos ministrados na AMPE Blumenau

Relação de Cursos ministrados na AMPE Blumenau nos últimos 3 anos e a média de nota em cada um deles:

2017
Entre Chefe e Saia Lider:                 Média 9,75
Relações Interpessoais:                    Média 9,67

2016
Relações Interpessoais:                    Média 10,00
Gestão do Tempo:                            Média 9,00
A CHAVE do Atendimento Eficaz: Média 9,25
Planejamento em Vendas:                Média 8,25 (Dois Facilitadores atuando neste curso)

2015
Oratória:                                           Média 9,50
Relações Interpessoais:                    Média 9,09
Gestão do Tempo:                            Média 9,88
A CHAVE do Atendimento Eficaz: Média 9,77
Oratória:                                           Média 9,50

Média Geral dos últimos 3 anos:      Média 9,49

segunda-feira, 27 de março de 2017